Capitão América criou um evento Nexus em Vingadores: Ultimato? Diretora de Loki tem uma resposta chocante

Loki preparou o caminho do Multiverso no Universo Cinematográfico Marvel ao colocar o Deus da Trapaça (Tom Hiddleston) em uma realidade alternativa depois que ele roubou o Tesseract em Vingadores: Ultimato (2019). O filme em questão mostrou os Vingadores mergulhando de cabeça nas regras de viagem no tempo pelo Reino Quântico, com a missão de pegarem as Joias do Infinito antes do Thanos (Josh Brolin). No final de Ultimato, tivemos a despedida do Capitão América com Steve Rogers (Chris Evans) devolvendo os artefatos aos seus devidos lugares no tempo e ficando no passado para viver uma vida plena com Peggy Carter (Hayley Atwell).

Tecnicamente, a decisão de Steve Rogers pode ter gerado um “evento Nexus”, segundo o que foi estabelecido na série Loki. Nela, conhecemos a Autoridade de Variância de Tempo (AVT), responsável por manter a linha do tempo em ordem no universo. Quando uma pessoa desvia do caminho predeterminado, são chamadas de Variantes, e podem causar um evento Nexus – que, se não for controlado, pode se ramificar e levar a uma guerra multiversal. Por isso, elas são removidas (“podadas”) pelos agentes da AVT.

 

CAPITÃO AMÉRICA CAUSOU UM EVENTO NEXUS EM VINGADORES: ULTIMATO?

Em entrevista recente ao The Direct, a diretora de Loki, Kate Herron, comentou sobre o assunto e, mesmo não tendo uma resposta definitiva, lembrou aos fãs da Marvel que há dois lados em cada moeda.

“Então! Estive pensando sobre isso. As pessoas vão ficar irritadas porque não é uma resposta definitiva, mas também só posso realmente responder como uma fã, certo? Minha teoria é a seguinte: tudo se resume a se você é um otimista ou um pessimista” e continuou: “Se você é um otimista, talvez fosse bom para eles viverem assim, e o ramo não fosse tão severo a ponto de não precisar ser podado, e isso significa que eles poderiam ficar juntos. Talvez os românticos podem dizer de alguma forma que isso existiu. E então os pessimistas [pensam], ‘Eles provavelmente foram podados (risos)’ “, disse a diretora.

Depois dessa introdução, Kate Herron deu sua decisão final: de acordo com os padrões estabelecidos em Loki, ela acredita que Steve Rogers e Peggy Carter foram eliminados pela Autoridade de Variância de Tempo por cometerem crimes temporais.

“Depende de como as pessoas caem desse lado das coisas, porque na minha cabeça acho que seria … geralmente os ramos têm que ser podados e depois mantidos, certo? Mas depende. Como se fosse alternado, isso implicaria que está ocorrendo junto com nossa linha do tempo principal, então sim. Não quero dizer com certeza que eles foram podados, mas pela nossa lógica na AVT, provavelmente. Mas talvez onde haja vontade, haja um caminho, e eles não foram muito perturbadores e conseguiram viver felizes para sempre”, explicou Herron.

Vale lembrar que tudo isso ainda é incerto e não tivemos uma resposta definitiva no Universo Cinematográfico Marvel. Recentemente, os diretores de Vingadores: Ultimato explicaram a viagem no tempo do Capitão América: “O Capitão teria que ter viajado de volta para a linha do tempo principal”, disse Joe Russo. “Ele estaria em outra realidade e teria viajado de volta à linha do tempo principal para dar aquele escudo a Sam Wilson (Anthony Mackie)”.

Loki ainda apresentou o vilão Kang, o Conquistador pela primeira vez no Universo Cinematográfico Marvel, interpretado pelo ator Jonathan Majors. Ele apareceu como uma variante do personagem, chamada “Aquele Que Permanece”, que era a verdadeira responsável pela criação da Autoridade de Variância de Tempo. Porém, ela vai ser diferente do Kang, o Conquistador confirmado para aparecer em Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania.

A primeira temporada de Loki está disponível no Disney+ e a série foi renovada para uma segunda temporada.